Alugando uma casa na Terra da Rainha

Esse mês está sendo um sufoco! Mudança de casa, mudança de rotina, mil e uma coisas pra ajeitar, comprar, resolver e pra complementar saio suuper cedo de casa e volto tarde e morta de cansada da “viagem” que tem sido ir trabalhar todos os dias.

Mas não estou reclamando, não. Sou uma pessoa de muita sorte, muitas coisas boas estão acontecendo, estou adorando a cidade nova. Tudo muito limpo, bem arborizado, planejado. Uma graça! E já arrumei um trabalho ótimo no head office de uma empresa de retail bem pertinho de casa, 8 minutos, mais precisamente. As horas de estrada estão com os dias contados.

Senti muito em ter que deixar meu trabalho que tanto gosto, um time super receptivo, desde o primeiro dia me senti muito confortável na empresa, mas infelizmente viajar 3 horas todos os dias entre ida e volta não dá.

Enfim, outra hora conto mais sobre isso, porque o assunto do post é outro.

É a segunda casa que alugamos aqui na Inglaterra e muita gente tem dúvidas de como é esse processo, então resolvi contar as minhas experiências.

Alugando direto com o proprietário

Não foi o nosso caso em nenhuma das casas, mas muitos amigos já alugaram casa assim e é um processo muito mais fácil e muito menos burocrático. Você trata diretamente com o proprietário e evita muitos custos, como taxas que as agências cobram ( que podem ser bem salgadinhas) entre outras comprovações.

Infelizmente, alugar diretamente com o proprietário não é fácil, pois a procura é muito maior que a demanda. Mas para os recém chegados no país, acredito que esta é a forma mais fácil de conseguir um lugar pra morar, já que a maioria dos senhorios não pedem tantas comprovaçoes e não checam referências e tal como as agencias fazem.

Quase conseguimos uma casa dessa maneira, mas nossa visita estava pra acontecer a tarde, demos o azar de o proprietário ter uma visita agendada para de manhã e o negócio foi fechado no ato. Aqui é mais ou menos assim, chegou, gostou, fechou, não tem tempo de olhar, pesquisar, olhar de novo. Então tivemos que procurar através de agência mesmo.

Alugando através de agência

É, sem dúvida, um processo mais caro e burocrático, mas também é mais seguro já que você tem serviços 24h caso aconteça alguma coisa e você precise de manutenção, o que com senhorio pode ser mais complicado. Vai que aconteça algo bem quando ele estiver viajando e você não comsegue contato? Provavelmente vai ter que resolver você mesmo e depois negociar com ele.

Bom, na nossa primeira casa precisamos comprovar:

@ cópia do passaporte;

@ referências do trabalho;

@ dados bancários;

@ comprovante de endereço anterior; ( o que não foi um problema, pois ficamos na casa de um amigo por 1 mês entao já tinhamos o Insurance Number, que funciona mais ou menos como o INSS, naquele endereço e explicamos que antes disso morávamos em outro país).

Essa casa alugamos com um casal de amigos então foi mais fácil, pois eles já moram aqui há alguns anos e nossa aplicação ficou muitos mais confiável pois as referências deles eram antigas.

image

A segunda casa, alugamos sozinhos e o processo mudou pouca coisa de uma agência/cidade pra outra. Precisamos apresentar:

@ um formulário aplicação;

@ cópias do passaporte;

@ referências do trabalho; ( e eles ligam mesmo, conferem quanto você ganha e tudo mais pra fazer um cálculo se você tem mesmo condições de pagar o aluguel).

@ referências da agência anterior; ( pra ver se você foi um bom inquilino e tal ).

Pagamos uma taxa de £400, (£300 pelo serviço da agência e £100 para tirar a casa do mercado, caso a aplicação passe os 100 são abatidos no valor de depósito e aluguel que você ainda tem que pagar, caso a aplicacão não seja aceita, você perde esse dinheiro, que é tipo uma indenização ao proprietário por ter tirado a casa do mercado e ela não ter sido alugada.

Depois de checadas todas as referências, você recebe da agência uma cópia do contrato e precisa efetuar o pagamento.

E o primeiro pagamento é um baque, já que você tem que pagar o aluguel sempre um mês adiantado, mais o depósito de garantia que normalmente é o valor de um aluguel ou um aluguel e meio.

image

A agência de Coventry, mudou todas as contas para nosso nome e nós não precisamos nos preocupar com nada, já a agência de Milton Keynes não se responsibilizou por nada disso e, apesar da pequena fortuna que pagamos de taxa, nós tivemos que ligar a arrumar tudo sozinhos. Isso varia de agência para agência, então é sempre bom perguntar para evitar de ficar sem os serviços.

 

 

 

Anúncios

Um ano de Inglaterra!!!

Como o tempo passa rápido!! Esse mês, mais extamente hoje faz um ano que chegamos na Terra da Rainha, cheios de expectativas, ansiedades e incertezas.

Pra não passar em branco, achei que seria bacana fazer um post pra posperidade contando um pouco desse ano e das minhas impressões durante essa adaptação.

A cidade: Como já falei por aqui, as ciscunstâncias nos trouxeram para Coventry, onde passamos esse primeiro ano. Coventry é uma cidade bem cosmopolita e é até bem grande para padrões europeus, mas está longe de ser a cidade que queremos criar raízes, fazer nossa vida, nossa família.

image

Então estamos aproveitando que o contrato da casa em que estamos vence mês que vem, para procurarmos outra casa em Milton Keynes, onde tínhamos planejado morar quando ainda estávamos no Brasil. Essas duas últimas semanas foram de muita busca, pesquisa e algumas visitas para acharmos um novo lar. E a procura continua nas próximas semanas, porque a oferta é menor que a demanda e achar alguma coisa habitável por um preço justo, não tá fácil.

image

O trabalho: passei meu estágio probatório, que aqui são 6 meses, e cada dia gosto mais. Gosto do ambiente de trabalho, dos meus clientes, da maneira como os ingleses gerenciam as coisas. Tenho aprendido bastante e espero que assim continue.

A língua: Lembro que quando cheguei, depois de quase três anos no Brasil, sem contato com o inglês, foi difícil entender o povo aqui. Um sotaque bem diferente do que eu estava acostumada, afinal no Brasil o inglês americano predomina dentre os que falam a língua.

A companhia estrangeira para a qual trabalhei também era americana. E lá, treinei meu ouvido a entender mais sotaque filipino e indiano que qualquer outra coisa. Hahaha.

Enfim, como a maioria já sabe, há várias diferenças entre o inglês americano e britânico, por exemplo aqui calça é trousers e não pants como eu aprendi. Pants aqui é calcinha, que no inglês americano é panties.  Outra coisa que é diferente e pode soar beem estranho é a tal da carona. Quer pedir carona à alguém peça uma LIFT, por favor não peça uma RIDE que não fica bem. Até mesmo nos filmes americanos se referir a ride como carona é super comum, mas aqui já levam pro lado malicioso da coisa, entãmo melhor pedir uma LIFT pra evitar mal entendidos. Haha

Aprendi, da pior maneira, que cornflour não é farinha de milho, como eu logo pensei quando vi a caixinha amarelinha com o milho e o moinho desenhados e levei pra casa achando que ia comer polenta, rsss. Cornflour é a nossa Maizena, o amido de milho, farilha de milho é cornmeal.

image

A mídia: O senso de humor deles aqui também é bem diferente e tem várias propagandas que fico me perguntando o sentido da parada. Hahaha.

Tem uma propaganda de seguro em que o cara economiza na compra do seguro, sai na rua vestindo uma bermuda feminina e um bumbum falso na parte de baixo, dançando Don’t cha da The Pussycat Dolls?? Gente é bizarro, mas é engraçado!! Querem ver o vídeo dá uma espiadinha aqui e me contem a moral da história, porque eu não entendi. Hahaha

E as promoçoes?? Tem umas coisas meio bobinhas, tipo você traz sua quotação, se a gente não conseguir bater o preço do concorrente você leva o produto de graça. Como assim? Claro que vão bater o preço do concorrente, né? Tudo bem que é uma forma de garantir o melhor preço, mas achei meio propaganda enganosa. rss

A alimentação: essa é um desafio, muita comida pronta, muita coisa industrializada, enlatados, take away. Mas tentamos ao máximo não entrar nessa onda e cozinhamos muito em casa, comida de verdade.  Uma pena que as frutas e verduras não tem o mesmo gosto, deve ser a falta de sol. A banana é insossa e só tem um tipo, salada verde então, todas tem o mesmo sabor. Vai ver é por isso que usam tanto molho de saladas por aqui. O que salva são as frutas vermelhas, os morangos, os mirtilos, as framboesas, as groselhas, uma maravilha!

imageA carne também é diferente, no supermercado nem pensar em comprar, tem um gosto horrível, no açougue já dá pra encarar, mas o preço é salgadinho. Quando queremos comer uma boa carne vamos almoçar fora.

image

O clima: sabe que achei que ia ser pior? Acho que porque falam tanto do clima ruim da Inglaterra que estava esperando dias de chuva intermitentes e horríveis 365 dias no ano.

Achei frio sim, muitos dias nublados sim, mas graças ao aquecimento, achei bem suportável. Todos os lugares são aquecidos, no trabalho o clima é super confortável. No carro, até esquentar você sofre um pouco, mas em questão de minutos já está quentinho. Achei que passei menos frio aqui que naquelas manhãs de geadas no RS quando acordava as 6 pra ir trabalhar. Àgua gelada saindo da torneira e salas de aula congelantes.

image

O único problema é que onde deveria ser o lugar mais cozy possível, foi onde mais sofri: em casa. A dona da casa onde moramos resolveu fazer da garagem uma sala de jantar e abriu uma porta enorme da garagem para a sala, sem isolamento térmico nem aquecimento no novo cômodo. Foi como ter o ar condicionado ligado constantemente dentro de casa pois o vento da rua entra direto pela porta da garagem. O aquecimento pode ficar ligado o dia todo que mesmo assim a casa é gelada. E pra completar ainda tem o sótão que é aberto e também não tem aquecimento. Resultado: casa gelada o inverno inteiro e muitas mantas no sofá. Mas em um mês damos adeus ao frigorífico!! Ufa!

Mas não tenho do que reclamar do primeiro ano, só a agradecer, e a expectativa é que o segundo seja ainda melhor. Novos ares, nos aguardam!!

 

 

 

 

Coventry Cathedral e a história de guerra

Coventry não é uma cidade pequena para padrões ingleses, é a décima maior cidade da Inglaterra e a décima segunda do Reino Unido, porém não é uma cidade turística, apesar de ficar pertinho de Warwick and Stratford, Coventry não tem o mesmo charme que suas vizinhas.

image

Em 1940, Coventry era uma cidade industrial e muito importante na Inglaterra, (ainda hoje industrias como Jaguar and Land Rover tem sede na região) então durante o que eles chamam de Blitz de 1940 grande parte de suas fábricas foram alvo das Força Aérea Alemã.

image

O ataque mais violento ocorrreu na noite de 14 de novembro daquele ano e como a cidade tinha várias fábricas de carros, bicicletas, motores de aeronaves e principalmente munições destruir essas fonte era uma forma que as forças inimigas encontraram para enfraquecer a indústria do país.

image
O bombardeio destruiu todo o telhado da catedral que foi construída nos séculos 14 e 15, porém grande parte das paredes externas e a torre ficaram em pé e ao invés de serem reconstruídas foram transformadas em um memorial de guerra.

image

Outro objetivo de fazer das ruínas um memorial era fazer com que o poder de destruição e tudo que ela representou e representa para os envolvidos não fosse esquecido. E isso, diga-se de passagem, a Inglaterra faz muito bem. O que não falta são homenagens e mais homenagens aos soldados da guerra como o Remembrance day que é celebrado dia 11 de novembro aqui na Inglaterra, mas que é também comemorado em vários países que fazem parte do Comonwealth durante o mês de novembro e que lembra todas as vidas perdidas na Primeira e Segunda Guerra Mundial.

image

Várias homemagens aos que lutaram na guerra estão espalhadas pelas ruínas da cathedral.

image
E o principal símbolo criado para essas homenagens é uma flor vermelha, também chamada de poppy. E é praticamente impossível visitar a Inglaterra e não ver essa florzinha em um broche (eles usam muito esse broche, principalmente no mês de novembro)  em algum museu, em lojas de souvenirs ou em algum do inúmeros  monumentos espalhados pelo país como este aí embaixo.

image

Em 1995, 50 anos após a II Guerra Mundial a catedral ganhou uma escultura simbolizando a reconciliação e a mesma escultura também foi levada a Hiroshima no Japão para que as pessoas nunca esqueçam que independente do poder de destruíção de uma guerra e das diferenças de seu povo, sempre há uma forma de reconciliação.

image

O altar, que deve ter uma vista bem bacana da cidade, não pode se acessado como em todas as igrejas e cathedrais pelo mundo e provavelmente pelo mesmo motivo que é um lugar sagrado e coisa e tal.

image

Os visitantes mais inusitados no entanto, são os esquilos. Como são fofinhos,  e tem aos montes ao redor da cathedral, já estão acostumados com o vai e vem de turistas e moradores e nem se assustam mais.  Se bobear ainda fazem pose pra foto, rss.

image

Quem vier a Stratford ou Warwick com tempo, vale uma visita.

Coventry Cathedral

1 Hill Top

CV1  5AB

Coventry UK

Churras brasileiro

Ontem fizemos nosso primeiro churras brasileiro aqui em casa. Aproveitamos que o tempo está melhorando e o Julio, nosso house mate, está indo pro Brasil de férias para fazer uma despedida, rss. Tudo é motivo pra festa.

Vieram nossos amigos de Milton Keynes e a Sylvia com o filho e o marido que são amigos dos meninos mas eu não conhecia. Passamos a tarde conversando, comendo e bebendo. É tão bom poder conversar com pessoas da mesma cultura que você, amigos dos seus amigos já viram família quando a gente tá longe de casa.

Imagem